Google+ PNEUMATOFONIA

quinta-feira, 2 de julho de 2015

EU ENCONTREI O AMOR!

by MARCELO CAVALCANTE

A razão é fonte lúcida,
A paixão é fonte embriagada.
Entre a lucidez da razão
E a embriaguez da paixão,
Eu escolho a lucidez da razão!

O amor é uma fórmula!
Nem sempre se encontra o que se busca
Na fórmula que se quer,
Da forma que se quer...

Exemplifico melhor...

Busquei na vida o amor conjugal,
Dei cabeçadas e não o encontrei,
Porém, sendo o amor uma fórmula
Que se desenvolve de várias formas,
Encontrei sua serenidade e paz
No amor incondicional dos meus filhos...

Posso fechar os olhos em paz,
Porque, finalmente, eu encontrei o amor...

ADEUS

by MARCELO CAVALCANTE


O meu rosto busca o teu,
Meu caminho é um breu.

Caminho só, estou tão só,
A tua estrela brilha no Céu,
Mas eu sou escuridão.

Um segundo, um adeus,
O amor eterno morreu.

SOL ETERNO

by MARCELO CAVALCANTE


Onde quer que eu vá,
O meu coração estará com vocês,
Orará por vocês.

O que o amor uniu,
Jamais se quebrará.
A luz espera por nós num outro lugar.

Sejam livres em Deus,
Deus sabe o que faz.
O casulo rompeu para o voo feliz do amor.

Vivam felizes, guardem o meu sorriso,
Sempre estarei com vocês,
Até o despertar sob a luz do Sol Eterno.

EU TAMBÉM ERREI

by MARCELO CAVALCANTE


Estou perto do fim,
Parto sem amor.
Você foi pra mim,
Um sonho que acabou.

Agora eu preciso refletir melhor,
Rever a minha vida pra me recompor.
O sonho tão poético só me feriu,
Restou a solidão e a mais pura dor.

As tuas atitudes rasgam tuas máscaras,
Do teu amor eterno, nada mais restou.
Se tanto me amou, por quê mentiu?
Deu brilho ao meu sorriso, mas depois tirou.

Estou perto do fim,
Parto sem amor.
Você foi pra mim,
Um sonho que acabou.

O jardim que construí, você ignorou.
As canções que eu compus, você jamais ouviu.
O afeto mais sincero, eu te entreguei,
Mas você se entregou a um outro amor.

Você banalizou o lar que construiu,
O solo tão sagrado do meu coração.
Castelos de areia, você construiu,
Um dia a consciência lhe trará a dor,
Mas eu já lhe perdoei.

E espero o teu perdão,
Porque eu também errei.



NÃO QUERO TER RAZÃO

by MARCELO CAVALCANTE


Quando o teu coração perdeu a luz
E o teu amor se foi,
Toda escuridão me envolveu,
A solidão venceu.

A alegria foi embora e me apavora a solidão.
Há tanta dor em minha memória,
Triste história de ilusão, o amor.

Não quero ter razão,
Mas o teu amor feriu meu coração.
Anjos vieram a nós,
Mas nós mentimos e hoje estamos sós.

QUEBRE AS MURALHAS

by MARCELO CAVALCANTE


O Sol do amor rege a vida,
Brilho da alma, sentido da vida.
Quem busca o amor, o amor,
É feliz na vida.

Sacode a poeira, quebre as muralhas,
Construa pontes, veja o amor que te espera.
Quem busca o amor, o amor,
É feliz na vida.

QUEM ESCREVE A TUA HISTÓRIA?

by MARCELO CAVALCANTE


Divagar filosofias
À imagem do espelho,
Quantas máscaras criadas
Pra sobreviver a dor?

Ou você é o que quer ser,
Ou é o que os outros esperam de você.

Quem escreve a tua história?
Qual será o teu legado?
Tuas máscaras, mentiras,
Não te livrarão da dor.

Ou você é o que quer ser,
Ou é o que os outros esperam de você.

Delegar tuas escolhas
À pessoas que irão
Pisotear teus sentimentos,
Tripudiar do teu amor.

Ou você é o que quer ser,
Ou é o que os outros esperam de você.

ESTILHAÇADO DESAMOR

by MARCELO CAVALCANTE


Quando a vida deixou
Suas marcas em mim,
Agoniza o coração à espera do amor.

Vi a esperança morrer
Numa ressecada flor.
Quanto tempo eu perdi
Acreditando no teu amor
E era tudo mentira?

Eu trago na memória
Essa história de dor.
Se foi amor, não sei,
Hoje, eu só sinto dor.

Não voltará o teu sorriso;
Não voltará o teu ombro amigo;
Não voltará o teu abraço;
Eu me perdi, estilhaçado desamor.

terça-feira, 30 de junho de 2015

BAZÓFIA

by MARCELO CAVALCANTE


O beijo do beija-flor
Encontra o mais puro mel,
No seio acolhedor da flor,
Sorriso do Céu.

Bazófia,
O amor não suportou tanta dor
E se foi numa tarde, deixou de viver.

Os livros lembram nós dois,
Risos e marcas de dor.
A folha frágil secou
E o que restou foi cruel.

Bazófia,
O amor não suportou tanta dor
E se foi numa tarde, deixou de viver.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

ALMA SEM CORAÇÃO

by MARCELO CAVALCANTE


Num segundo escarneceu,
Riu do amor que eu lhe dei.
Minha vida, minha alma,
Onde foi que eu errei?

Meu caminho, minha história,
O que sou, já não sei.
Minha alma foi embora,
Veja o que eu me tornei.

Alma sem coração...

Tua vaidade, o teu orgulho,
Traições tão banais.
A amizade jogou fora,
Por futilidades reais.

Sem valores, sem moral,
Narcisista demais.
Jogou fora a nossa história,
Veja o que eu me tornei.

Alma sem coração...


SEM AMOR

by MARCELO CAVALCANTE


A vida sem amor,
Não tem sentido para mim.
O amor se foi
E eu estou tão só aqui.

Mas amanhã novo dia de Sol
Iluminará o meu coração sofrido.
Mas amanhã você despertará
E se lembrará do meu sorriso, amor.

Amor, não vivo sem você.
Amor, sem você, não sou feliz.